segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Ayurveda no Globo Repórter

Amigas e Amigos,
Namaskaram

No, dia 30/11/12, o Globo Repórter exibiu uma edição dedicada a Índia, que entre muitos outros assuntos, um bloco inteiro só sobre o Ayurveda.

Este bloco sobre Ayurveda teve a consultoria do diretor do Instituto Naradeva Shala e Vice-Presidente da ABRA, Erick Schulz e foi gravado no AVP – Arya Vaidya Pharmacy, complexo de escola, universidade, clinica, hospital e fábrica de medicamentos ayurvédicos situado no sul da Índia no estado de Tamil Nadu, cidade de Coimbatore.

ABRA – Associação Brasileira de Ayurveda desde 2010 possui parceria oficial/formal com o AVP, por meio do MOU (Memorandun of Understanding), tornando-se representante do AVP no Brasil e é o organizador junto com o AVP do Curso Avançado de Ayurveda que se realiza todos os anos no mês de janeiro na Índia na sede do AVP com o corpo docente do mesmo.

Eu fico muito feliz de ter participado de mais este degrau que o ayurveda alcançou em território brasileiro.

Namaskaram
Erick

Foto Oficial de toda a turma de alunos brasileiros no AVP com os professores em Janeiro de 2012 


Natureza está presente na forma como a sociedade indiana cuida da saúde

O diagnóstico é feito através de técnicas antigas. Nada de consultas rápidas. Médico e paciente trocam informações em longas conversas. Esta é a medicina Ayurveda.

O poder do dia e do verde para restaurar o corpo. A equipe do Globo Repórter foi a uma área de repouso - em um hospital - em coimbatore, sul da Índia. Um centro médico bem diferente dos que existem no Brasil. Remédio? Tratamento? Lá, o sistema é outro.

A natureza está presente na forma como a sociedade indiana cuida da saúde. Descanso e silêncio são fundamentais para o bem estar. A sabedoria milenar transmitida por gerações está viva em métodos de cura.

Métodos naturais e muito relaxantes. Para dores nas costas, a queixa mais comum, massagens com óleos extraídos de plantas. Ou compressas de trouxinhas de arroz cozido mergulhadas em leite quente.
E "yoga" - receitado como tratamento para grande parte dos pacientes. É o fortalecimento do corpo e da mente - na luta contra as enfermidades.

O diagnóstico é feito através de técnicas antigas. Nada de consultas rápidas. Médico e paciente trocam informações em longas conversas. Esta é a medicina Ayurveda.

“Nós tratamos o paciente e não a doença. Este é o princípio do Ayurveda. Duas pessoas que vem aqui com a mesma queixa, com o mesmo diagnóstico, podem receber duas prescrições diferentes, dois tratamentos diferentes e até mesmo duas dietas diferentes”, afirmou Unniappan Indulal, médico.

A dieta é uma parte muito importante do tratamento. O ideal é que cada refeição tenha alimentos de sabores vaiados: salgado, doce, amargo. E tudo isso pode ser acompanhado por uma bebida, de preferência na mesma temperatura da comida.

As porções são pequenas, mas bem dosadas. Para o Ayurveda, comida demais pode ser um veneno para a saúde.

Na cozinha, tudo é preparado na hora. Um cardápio leve, à base de legumes, sem carnes e nem frituras. Mas o doutor alerta: nenhum alimento é proibido.

“Não há nada que seja universalmente bom ou ruim. Para algumas pessoas, até o álcool pode agir como medicamento ao passo que para outras, a menor das doses, pode ser prejudicial. Então, a carne vermelha também pode se tornar um medicamento. Tudo depende da condição do paciente, da frequência com que consome e do tamanho da porção”, explicou o médico.

Syamala Jayeram sofre com dores nas juntas. Aos 61 anos, a bancária aposentada vinha se tratando com remédios ocidentais. A melhora foi rápida, mas não duradoura. Os medicamentos causaram problemas no estômago e as dores voltaram meses depois. Agora, ela optou pelo Ayurveda - um tratamento onde não se pode ter pressa.

“Se você tiver tempo e tiver paciência, você pode vir para o Ayurveda. Porque aqui o processo é demorado, mas vai te curar melhor e por um longo período”, disse Syamala Jayeram, aposentada.

O médico dela, o doutor Shiva, explica que esta medicina tem como primeiro objetivo prevenir o mau funcionamento do corpo. Através de dieta e atividade física. O paciente precisa se conhecer muito bem e construir um estilo de vida harmonioso. Mesmo quando a vida moderna traz estresse e impede o descanso e a alimentação nutritiva.

“O Ayurveda aconselha um estilo de vida bem regrado. De manhã até a noite. Acordar cedo, com o nascer do sol, cuidar da higiene, ter as refeições nos horários certos - café da manhã, almoço e jantar - e dormir sempre no mesmo horário. Este é o segredo da boa saúde”, ressaltou Shiva Prasad, médico.

Na farmácia do hospital, o médico nos mostra as fórmulas naturais para reequilibrar o organismo. Em cada frasco, combinações de raízes, sementes, folhas.

No Ayurveda, há nove categorias de medicamentos. Entre eles, óleos e xaropes. Nesta fábrica, são produzidos 500 tipos de remédios naturais. E o faturamento passa de R$ 1 milhão por mês.
Mas boa parte das formulações é preparada lá mesmo, no hospital. O laboratório lembra uma cozinha. Mais de mil espécies de plantas são usadas nas fórmulas do Ayurveda.

Algumas crescem em jardins, mas muito do que é usado - cerca de 80% - vêm de matas nativas concentradas principalmente no sul da Índia.

Nesta medicina indiana, para manter a saúde em bom estado, o lado espiritual não pode ser esquecido. No templo que fica dentro do hospital, um ritual marca o início dos tratamentos todas as manhãs. A equipe do Globo Repórter fez questão de participar.

É um ritual para afastar as doenças e garantir a boa saúde. Ele é feito a pedido dos pacientes que ficam sentados em volta.

Mas as preces vão para todos os enfermos lembrados, enquanto óleos e ervas são queimados na fogueira. Apesar da ligação com os rituais, o Ayurveda não é uma religião. Desenvolvido a partir de textos escritos há cinco mil anos, ele é tratado pelos estudiosos como uma ciência.

Segundo Krishna Kumar, diretor do hospital, pesquisadores do mundo todo têm testado e aprovado os métodos. A repórter Cláudia Bomtempo pergunta a ele se, com tantos avanços na medicina, o método indiano não ficou ultrapassado. Para Krishna Kumar, o Ayurveda ainda é o que há de melhor para o homem moderno.

“Nas grandes cidades, se você prestar atenção, há sempre uma multidão correndo de um lado para o outro. Pare estas pessoas e pergunte: por que? A maioria não vai saber responder porque corre tanto. Hoje, as pessoas estão se dando conta disso e querem voltar às raízes”, disse Krishna Kumar, diretor do hospital.

Tão antigo e tão atual. A procura pelas terapias tradicionais tem crescido na Índia. No hospital, todos os chalés estão reservados até o fim do ano que vem.

Alguns pacientes vêm de longe. Satish é empresário e mora nos Estados Unidos. Há dois anos, iniciou um tratamento para curar problemas digestivos e dores nas costas. A cada ano, passa um período no hospital para revisão. Desta vez, aproveitou também para fazer um tratamento estético - uma pasta feita de uma combinação de raízes está melhorando a pele que costumava ficar muito seca e rachar. O empresário conta que precisou mudar a dieta e diminuir a correria e estresse. E que, agora, sente-se muito melhor.

“A sensação do Ayurveda é difícil de explicar. É como estar flutuando em uma nuvem. Você se sente relaxado. Ele age no corpo e na mente. E quando os dois estão em equilíbrio, você se sente no céu”, ressaltou Satish Daryanani, empresário.



sábado, 18 de agosto de 2012

Ayurvedic Thailam Gets Scientific Validation



Amigos, olhem que interessante essa matéria, sobre uma pesquisa realizado na Universidade de Kannur em relação ao Dhanvantharam Thailam, que é um óleo maravilhoso que usamos no Ayurveda.

Caso alguém queira traduzir seria ótimo.

http://new


Neste link acima tem algumas outras informações.
Por favor, ajudem a divulgar.
Abs
Erick

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Sugestão de Filme: 3 Idiots

Depois de muito tempo e não sei o porque que eu não assisti antes, mas enfim, hj assisti este belo filme, que ri, chorei, fiquei apreensivo e relaxei muito em uma história que retrata um pouco do que acontece em universidades em todo o mundo e na Índia não é diferente.

Relata a dura realidade do alto índice de suicídio que existe na Índia dentro da Universidade e como é tratado o ensino na Índia o que não á muito diferente do nosso país, que o mais importante são os resultados, as notas e decorar e não construir um ser humano.

Curtam este filme que vale muito a pena.
Abs
Erick Schulz

PS: O post que segue abaixo sobre o filme, foi tirado do blog do amigo Ibirá, o link é: http://cinemaindiano.blogspot.com.br


3 Idiots (2009) - थ्री इडीयट्स

-

3 Idiots nasceu para quebrar recordes. Tendo estreado no último dia 25 de dezembro de 2009, já no dia 4 de janeiro de 2010 ele havia quebrado todos os recordes do cinema indiano, não só de arrecadação dentro e fora do país, mas também com o número de salas, como já havia sido adiantado aqui no Cinema Indiano. Os recordes foram quebrados numa velocidade assustadora dentro da Índia, além de rápido também ter ultrapassado os sucessos anteriores nos Estados Unidos, nos países do Oriente Médio, na África do Sul, no Quênia, em Fiji, no Paquistão e na Austrália. Neste último país, os exibidores foram obrigados a tirar o filme Avatar de algumas salas para atender à demanda imensa por 3 Idiots. A previsão é que esse filme também entre pra história por ser o primeiro filme indiano a ser oficialmente lançado no Youtube, após 12 semanas de sua estreia.

A obra é escrita e dirigida por Rajkumar Hirani, que só tem em sua bagagem a trilogia Munna Bhai. Ele se inspirou no livro de Chetan Bhagat Five Point Someone - What not to do at IIT(Cinco Ponto Alguém - O que não fazer no IIT-Instituto Indiano de Tecnologia), mas o filme não é a história do livro. A produção é da Vinod Chopra Productions e o filme estrelaAamir Khan, Sharman Joshi, R. Madhavan e Kareena Kapoor.

O filme é contado em flahsbacks. Logo no começo, Farhan Qureshi (R. Madhavan) recebe uma ligação no celular, de dentro do avião que taxiava pra levantar voo, avisando-lhe que sabiam onde estava Rancchoddas Shyamaldas Chanchad (Aamir Khan), mais conhecido por Rancho. No mesmo instante ele faz o que pode pra sair do avião e corre pra pegar Raju Rastogi (Sharman Joshi) pra irem juntos atrás de Rancho.


E assim, a partir das lembranças de Farhan, passamos a conhecer a história da amizade dos três, pouco mais de dez anos antes. Tudo começou quando foram admitidos na fictícia Imperial College of Engineering (inspirada no IIT) e calharam de cair no mesmo quarto do dormitório da faculdade. Muito cedo a irreverência de Rancho é notada por todos e tão cedo ele passa a ser perseguido pelos professores, sobretudo Viru Sahastrabudhhe (Boman Irani), diretor da faculdade (inevitavelmente apelidado de ViruS). Por outro lado, Chatur Ramalingan (Omi Vaidya) é o aluno preferido dos professores, o mais dedicado e inteligente. Mas a grande inteligência de Chatur é colocada à prova tão logo o primeiro exame acontece e quem fica em primeiro lugar é... Rancho. Farhan e Raju, no entanto, ficam nos dois últimos lugares do ranking, respectivamente.
Rancho, no entanto, não está nem aí para rankings, ao contrário do pensamento comum que permeia a tudo e a todos. Seu posicionamento quanto a isso é deixado muito claro em vários momentos, mas o ponto mais importante aparece ainda mais ou menos no começo do filme, quando um aluno não consegue permissão do diretor Virus para prolongar seu tempo pra conclusão de seu projeto, já que seu pai havia sofrido um acidente. Como isso resultaria em sua não conclusão do curso, para a vergonha da família e da sociedade, ele acaba cometendo suicídio.

Aos poucos, o professor Virus passa a adverter Raju e Farhan para que não andem mais com Rancho, dizendo ser ele uma má influência. Ele chega, inclusive, a mandar cartas aos pais dos dois dizendo sobre isso, apelando ainda ao fato de que Rancho vem de família ultra rica, enquanto que os outros dois, ao contrário, são muito pobres - principalmente Raju, cujo pai está de cama, a meio fio para morrer, cuja irmã não casou até agora por falta de dote para tal e cuja mãe não compra um sari novo há mais de cinco anos.
Mas a amizade permanece, embora Raju revolte-se por um breve tempo. Eles seguem aprontando como bons recém-ex-adolescentes e, numa dessas, conhecem  por acaso Piya (Kareena Kapoor), por quem Rancho se apaixona, mas é noiva do riquíssimo Suhaas. No entanto, Piya, por ironia do destino, é filha de nada mais que o professor Virus. Rancho não se intimida e tenta mostrar a ela que Suhaas não é um bom partido, pois tudo o que lhe interessa é o status e a ostentação.

Numa noite, bêbados, os três invadem a casa do professor Virus para que Rancho se declare a Piya. Mas Virus acorda e, antes de fugirem, eles urinam na porta de sua casa. O resultado é que, no dia seguinte, o professor Virus chama Raju a seu escritório e anuncia-lhe que ele está sendo expulso da faculdade (ele faz isso somente com Raju, pois é ele quem tem as piores notas). Raju retruca dizendo que seu pai está vivo até hoje apenas para ver seu diploma, ao que Virus contesta advertendo que ele deveria ter pensado nisso antes. Ainda assim, Virus dá uma segunda chance a ele propondo que, em seu lugar, Rancho seja então expulso. Raju, muito desesperado e não sabendo que decisão tomar, pula da janela do escritório de Virus, no terceiro andar da faculdade.

Ele não morre, mas entra em coma e fica assim por muitos dias. Durante esse tempo, Farhan, Rancho, Piya e a mãe de Raju fazem o que podem para alegrar Raju que, mesmo em coma, poderia escutar e ver tudo, segundo o médico. No fim das contas, Raju acorda.

Esse ocorrido, no entanto, finalmente desperta em todos o que Rancho sempre vinha dizendo, que o que fazemos raramente é o que queremos realmente fazer, mas sim o que nossos pais querem, o que a sociedade quer. O verdadeiro sonho de Farhan, por exemplo, era ser fotógrafo de natureza. Na mesma onda, Piya joga na cara de seu pai, o professor Virus, que o irmão dela (logo, filho dele) havia morrido atropelado por um trem não por causa de um acidente, mas que havia sido um suicídio, já que ele não aguentava a pressão do pai para ser engenheiro, pois seu sonho era ser escritor.

Voltando ao presente, quando Farhan e Raju (junto de Chatur, que é que havia ligado para Farhan no começo do filme) chegam ao local em que deveria estar Rancho, em Shimla, eles encontram, na realidade, outra pessoa. Descobrem logo que essa outra pessoa era na verdade o verdadeiro Rancho e que o que eles haviam conhecido era um filho dos empregados da casa que, de tão inteligente que era, foi "contratado" pela família para se passar por Rancho e conseguir os diplomas devidos a ele. E o contrato previa que assim que ele concluísse a faculdade ele deveria simplesmente desaparecer. Descobrem, portanto, que o Rancho que eles conheciam era agora professor numa escola remota no meio do Ladakh, na Caxemira.

A partir daí já não conto mais nada. Já contei demais da história, embora eu tenha omitido vários e vários fatos que deixam a história toda mais divertida e simpática.

Preciso dizer que gostei bastante de 3 Idiots. Ele está longe de ser o melhor filme do mundo, mas seu enredo super simples, seu contexto super irreal - caricato na maior parte das vezes -, as atuações também simplórias, as poucas músicas pouco elaboradas, mas delicadas e divertidas em alguns momentos, tudo isso fez com que o filme se tornasse muito agradável de se ver, além de cativante e muito sensível. Nem se vê as quase três horas de filme passando.

Conhecendo um bocado da sociedade indiana, podemos imaginar um pouco do porquê do estrondoso sucesso. O país possui hoje um dos maiores números de estudantes de engenharia no mundo, grande parte dos quais ingressa nessas universidade justamente contra a vontade. As estatísticas mostram também que a Índia é um dos países com maior índice de suicídio dentre os estudantes universitários, graças, sobretudo, ao cruel sistema de ranqueamento. Além disso, desde que o tema da juventude universitária foi trazido à tona no cinema indiano, com o revolucionário Rang De Basanti (que conta com o protagonismo dos mesmos Aamir Khan, R. Madhavan e Sharman Joshi), essa mesma juventude passou a ser inevitavelmente o principal público do cinema no país.

Mas por mais que seja evidente o apoio em Rang De Basanti, por vários cantos da mídia indiana havia inevitáveis comparações dessa obra com Taare Zameen Par, o que foi um pouco exagerado, mas justificado. Se em TZP o foco era a educação infantil a partir do problema de uma criança com dislexia e em 3 Idiots o foco é a educação universitária, em ambos, porém, a maior e principal mensagem transmitida é que, não importando o nível educacional, o que nunca é explorado é o potencial inerente de cada ser humano - e que é inevitavelmente acompanhado de dificuldades não menos inerentes. E o filme deixa de lado revolucionismos e realismos, trazendo, no entanto, uma esperança à juventude. E isso de uma maneira muito leve e tranquila.

O filme tem cinco músicas compostas por Shantanu Moitra e escritas por Swanand Kirkire. Das cinco, somente duas viraram cenas de song-and-dance, Aal Izz Well e Zoobi Doobi - e ambas são muito divertidas! E Rajkumar Hirani, o diretor, foi chamado de o mais idiota de todos por pela primeira vez na história do cinema indiano ter pedido para os protagonistas homens perderem peso e músculos e a protagonista engordar.

Fiquem agora com o trailer do filme:

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Transforme a Violência Contra a Mulher em AMOR

Hoje é o dia internacional da eliminação da violência contra a mulher. Mas o que isso realmente afeta o nosso dia a dia? Ora, mas as mulheres já não conquistaram tudo que queriam, os “direitos”, a “liberdade” etc .....


Este dia é um dia muito importante, pois como podem ler no post neste mesmo blog abaixo que copiei e colei do blog de Sabrina Alves, no dia de hoje, 25 de novembro do ano de 1960, foram assassinadas as irmãs MIRABAL, conhecidas como LAS MARIPOSAS

Mas o que de importante tem o assassinato delas?

As três irmãs MIRABAL, lutavam contra a ditadura da Rafael Leonidas Trujillo na Republica Dominicada. As irmãs lutaram contra a ditadura e contra este regime. Elas foram perseguidas e presas varias vezes e até que no dia 25 de novembro de 1960 foram assassinadas e meses após suas mortes, o ditador foi finalmente, deposto.

Sim, muitos devem estar lendo e perguntando, o porquê, que nesta data especificamente é comemorado o Dia Internacional de Não Violência Contra a Mulher, sendo que sabemos que na história da humanidade, tivemos muitos relatos e fatos como este, parecido ou até piores. 


Aqui mesmo em nosso país, por exemplo, pegando o mesmo gancho da ditadura, quantas mulheres também não sumiram, foram presas ou até violentadas. Em grandes guerras chamadas de GUERRAS MUNDIAIS, onde mulheres foram dizimadas de seus povos, vilarejos, pois algumas culturas dentro das guerras pensavam que “cortar o mal pela raíz” era a solução, então na visão deles era só matar quem gerava, isso quer, dizer a MULHER.

Nos dias atuais não é muito diferente, muita coisa mudou, sim, muitas coisas “evoluiram” sim, mas muita coisa nova surgiu e não pense você que faz parte do meio do yoga, ayurveda, da espiritualidade etc, que em nosso meio é diferente, não é não, é igual e até muitas vezes pior, pois é velado.

Pois, como sabem eu trabalho com cultura indiana em nosso Instituto, trabalho com ayurveda, mas precisamente, e convivo praticamente desde meu nascimento com praticantes de yoga, espiritualidade hindu, ayurveda, monges, etc. E todos os dias recebemos relatos de mulheres subjugadas em nosso meio, por puro preconceito. Mulheres que recebem assédio moral ou físico em consultórios médicos e/ou terapeutas, massoterapeutas; mulheres que recebem assédio em aulas de yoga; mulheres que são usadas como iscas para encher sala de yoga ou até pior, mulheres que são usadas como objetos em orgias por pseudo gurus e que chegam até a ganhar troféus e medalhas para quem faz sexo com  mais homens.

Não se assustem com o relato escrito por mim, quis colocar o mais leve que minha mente e minhas anotações de anos recordam-se. De pessoas que já vieram falar comigo, que relataram em confidencia, pedindo ajuda, pedindo uma mão. Não irei colocar nomes jamais, pois não é minha intenção, minha intenção é única e exclusivamente de alertar a todos e fortalecer a mente de mulheres que passam por isso, para que possam denunciar e, só assim, este tipo de homem poderá ser preso e pagar na justiça.

Veja que coloquei o gênero masculino (homem) na frase acima, mas não podemos esquecer quantas mulheres agem exatamente desta mesma forma, contra mulheres, subjugando e descriminando outras mulheres, resumindo tendo atitudes machistas.

photo by Subir Basak
Você que tanto ama a Índia, veja este link da Gender Bytes sobre a violência cometida conta meninas indianas.   http://genderbytes.wordpress.com/2011/11/13/a-report-on-the-state-of-indias-girls/ é de assustar né! Eu amo a Índia também, assim como amo o nosso país, mas ainda existe nestes países, como em outros, coisas que é de difícil digerir.

Voltando as três irmãs MIRABAL, o porquê está data ficou tão especial: Como representatividade da luta pelo fim da violência contra a mulher à data de 25 de novembro tornou-se a lembrança da ação com o Dia Internacional de Não violência Contra a Mulher, esta data foi estabelecido o Primeiro Encontro Feminista Latino-Americano e do Caribe realizado em Bogotá, Colômbia no ano de 1981. As irmãs Mirabal são também conhecidas e representadas com “las Mariposas”, por ser este o nome secreto de Minerva (uma das três irmãs) em suas atividades políticas clandestinas contra a ditadura de Trujillo.

Mais informações, leia o post deSabrina Alves que segue abaixo.

Sim, penso neste momento, muitas pessoas ao ler este post deve pensar, o Erick virou militante, o Erick está nervoso, o Erick está com o seu Pitta a mil, na verdade não, o Erick ao escrever este post só está exercendo sua contribuição para com as tantas mulheres que ele já viu passarem por isso tudo, pacientes, amigas, alunas, familiares e as milhares de mulheres que vemos nos meios de comunicação diariamente que passam por isso.

No meu ponto de vista sou um YOGUI, não um yogui moderno que faz acrobacias com o próprio corpo, no meu ponto de vista sou um ayurvédico também, não um ayurvédico moderno que seguir o ayurveda é fazer massagem toda semana e colocar curry na alimentação.

Ser um YOGUI ser um AYURVÉDICO no meu ponto de vista é seguir o caminho do bem, respeitar o próximo, é não ser conivente com estes tipos de crimes, é saber que todos SOMOS IGUAIS, independente de raça, sexo, origem, idade, idioma etc, que todos nós temos direitos iguais perante a sociedade e devemos sempre exigir o respeito e é exatamente por isso que no começo deste post coloquei que as mulheres já conquistaram os direitos e a liberdade delas entre aspas, pois no meu ponto de vista isso tem que ser para todos, isso é um dever, isso é o respeito que lhe é seu de direito.

Fico por aqui neste dia tão forte e especial e relembremos estes atos cruéis que já passaram e que todos os dias aparecem nos noticiários como um ato que devemos eliminar da sociedade, sempre com AMOR.

Namaskaram
Erick Schulz
25/11/2011

quarta-feira, 20 de julho de 2011

SAQUINHO DE JORNAL


Onde você põe o seu lixo?

A grande justificativa das pessoas que dizem que "precisam" de sacolinhas plásticas é a embalagem do lixo. Tudo bem, não dá mesmo pra não colocar lixo em saco plástico, mas “Sacos de lixo Biodegradáveis” que são feitos com materiais orgânicos e de fibras vegetais levam bem menos tempo para se degradarem no solo assim causando menos impacto na Natureza.

Além disso será que não dá pra diminuir a quantidade de plástico no lixo?
Melhor do que encher diversos saquinhos plásticos ao longo de uma semana é usar um único saco plástico dentro de uma lixeira grande na área de serviço, por exemplo, e ir enchendo-o por alguns dias com os pequenos lixinhos da casa (da pia, do banheiro, do escritório). Se o lixo é limpo, como de escritório (papel de fax, pedaços de durex, etc.), pode ir direto para a lixeira sem proteção. No caso dos lixinhos da pia e do banheiro o melhor substituto da sacolinha é o saquinho de jornal. Ele mantém a lixeira limpa, facilita na hora de retirar o lixo e é facílimo de fazer. Leva 20 segundos. A idéia veio do origami, que ensina essa dobradura como um copo. Em tamanho aumentado, feito de folhas de jornal, o copo cabe perfeitamente na maioria dos lixinhos de pia e banheiro que existem por aí. Veja:

Você pode usar uma, duas ou até três folhas de jornal juntas, para que o saquinho fique mais resistente. Tudo no origami começa com um quadrado, então faça uma dobra para marcar, no sentido vertical, a metade da página da direita e dobre a beirada dessa página para dentro até a marca. Você terá dobrado uma aba equivalente a um quarto da página da direita, e assim terá um quadrado.
saquinho2
saquinho3
saquinho4
saquinho5
saquinho6
saquinho7
saquinho8
saquinho9
saquinho91
Related Posts with Thumbnails